ACHADA EM ISRAEL 'NOVA YORK' DE 5.000 ANOS QUE PODERIA REESCREVER HISTÓRIA

Durante as escavações, a equipe descobriu um grande edifício público que era provavelmente um templo ou santuário

Por Pedro Fontoura 07/10/2019 - 21:01 hs
Foto: AP Photo / Tsafrir Abayov
ACHADA EM ISRAEL 'NOVA YORK' DE 5.000 ANOS QUE PODERIA REESCREVER HISTÓRIA
A cidade teria sido habitada por seis mil pessoas

ACHADA EM ISRAEL 'NOVA YORK' DE 5.000 ANOS QUE PODERIA REESCREVER HISTÓRIA 

AP Photo / Tsafrir Abayov



A Autoridade de Antiguidades de Israel (AAI) anunciou a descoberta de uma megalópole de 5.000 anos ao lado da mais nova cidade de Israel, Harish, durante construção de estradas.


SPUTNIK

A cidade, que tinha uma área de uns 65 hectares e abrigava cerca de 6.000 habitantes (um número elevado na época), é a zona urbana da Idade do Bronze já encontrada em Israel, informou o jornal The Times of Israel no domingo (6).

As autoridades têm apontado que o assentamento de En Esur poderia "mudar para sempre o que sabemos sobre o surgimento da urbanização em toda a área".

"É muito maior do que qualquer local conhecido dentro e fora do território de Israel, bem como na região da Jordânia, Líbano ou sul da Síria", disse o codiretor de escavações, Yitzhak Paz.

Vista geral de uma grande cidade de 5.000 anos descoberta no norte de Israel, 6 de outubro de 2019
© AP PHOTO / TSAFRIR ABAYOV
Vista geral de uma grande cidade de 5.000 anos descoberta no norte de Israel, 6 de outubro de 2019

O local era cercado por um muro fortificado e tinha áreas residenciais e públicas, enquanto que seus habitantes praticavam a agricultura e comercializavam em diferentes regiões, mesmo com outros reinos e culturas.

Arqueólogos trabalham em grande cidade de 5.000 anos descoberta perto da cidade de Harish, no norte de Israel, 6 de outubro de 2019
© AP PHOTO / TSAFRIR ABAYOV
Arqueólogos trabalham em grande cidade de 5.000 anos descoberta perto da cidade de Harish, no norte de Israel, 6 de outubro de 2019

"Esta é a Nova York de nossa região da Idade do Bronze, uma cidade cosmopolita e planejada", disseram as autoridades.

Durante as escavações, a equipe descobriu um grande edifício público que era provavelmente um templo ou santuário, dentro do qual foram encontrados ossos de animais queimados, presumivelmente para sacrifícios e rituais religiosos.

Além disso, pouco antes da construção de novas estradas sobre o sítio arqueológico de En Esur, arqueólogos da AAI também descobriram um assentamento ainda mais antigo de 7.000 anos, abaixo de várias das estruturas de 5.000 anos.

Devido à importância do local, os pesquisadores irão preservar as escavações através de documentação de alta tecnologia e conservação física.