Água de barragem invade cidades na Bahia e deixa desalojados

Estrutura fica no povoado de Quati, em Pedro Alexandre, e água invadiu também o município de Coronel João Sá. Cerca de 300 pessoas precisaram deixar as casas.

Por Pedro Fontoura 11/07/2019 - 20:43 hs
Foto: Studio Júnior Nascimento
Água de barragem invade cidades na Bahia e deixa desalojados
Foto mostra como a cidade de Coronel João Sá, na Bahia, ficou após chuva forte e rompimento de barra

Por Lílian Marques e Phael Fernandes, G1 BA

A água de uma barragem que fica no povoado de Quati, em Pedro Alexandre, localizada a cerca de 435 km de Salvador, invadiu, na manhã desta quinta-feira (11), a cidade vizinha de Coronel João Sá e deixou cerca de 300 pessoas desalojadas. Não há informações de desalojados em Pedro Alexandre.

Conforme a Defesa Civil da cidade, as fortes chuvas que caem na região do Rio do Peixe contribuíram para o transbordamento da água. Não houve feridos.

A Prefeitura de Pedro Alexandre – que fica no nordeste baiano, perto da divisa com Sergipe – decretou estado de calamidade e emergência após o município ter sido tomado pela água.

Coronel João Sá fica a 45 km de Pedro Alexandre. Os desalojados fazem parte de cerca de 120 famílias que moram às margens do Rio do Peixe, que corta a região. A água que vazou da barragem seguiu o curso do rio e, por volta das 15h30, chegou a João de Sá.

O percurso do rio entre as duas cidades é de cerca de 80 km. Não há informações da velocidade que a água chegou ao local, e nem da extensão dos prejuízos. Os desalojados foram levados para ginásios de esportes e escolas de João Sá.

Desde o início da manhã, a administração de Coronel João Sá, que fica em um nível abaixo da barragem e é cortado pelo Rio do Peixe, pediu para que as famílias que moravam às margens do rio deixassem o local.

Coronel João Sá já tinha áreas alagadas, mas por conta da chuva A preocupação adicional era justamente com a enxurrada provocada pelo transbordamento da barragem do Quati.

Segundo a Defesa Civil de Pedro Alexandre e a Secretaria de Comunicação de Coronel João Sá, a barragem de Quati transbordou por volta das 6h desta quinta, e se rompeu às 11h.

Já o Governo do Estado disse que não houve rompimento. O G1questionou se técnicos do estado estiveram no local para constatar que não houve rompimento. No entanto, o governo respondeu que a posição oficial é que não houve colapso na estrutura, mas não detalhou o que de fato aconteceu, e nem como se chegou a essa conclusão.

O Estado ainda disse que a barragem foi construída pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (Car) e entregue em novembro de 2000 à Associação de Moradores da Comunidade de Quati. Ogovernador Rui Costa vai visitar as duas cidades atingidas na sexta-feira (12).

Segundo o Estado, foram enviados para a região equipes do Corpo de Bombeiros, técnicos da Defesa Civil Estadual e do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema). O governador Rui Costa disse, também, que serão enviados mantimentos e água mineral para a cidade de Coronel João Sá, a mais afetada pela situação.

Em nota, o Ministério do Desenvolvimento Regional falou em rompimento da barragem e informou que equipes da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) falou estão acompanhando a situação do rompimento da barragem Quati.

Ainda conforme o Ministério, no início da tarde, o Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad) enviou um alerta por SMS à população de Coronel João Sá recomendando a evacuação de áreas próximas ao Rio do Peixe.

Também em nota, a Agência Nacional de Águas (ANA) disse que, por se tratar de uma barragem em rio estadual, não é responsável pela fiscalização. A ANA ainda afirmou que, guardando as devidas atribuições dos órgãos regionais, acompanha a situação.

Pedro Alexandre tem cerca de 16,7 mil habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Já Coronel João Sá tem cerca 17 mil. Chove forte nas duas cidades há, pelo menos, cinco dias.