Madeira plástica brasileira recicla garrafas pet e evita desmatamento

E o melhor, tudo isso sem provocar danos ao meio ambiente.

Por Pedro Fontoura 10/05/2019 - 15:15 hs
Foto: Divulgação
Madeira plástica brasileira recicla garrafas pet e evita desmatamento
Economizando a natureza

Só Notícia Boa

Você já ouviu falar na madeira plástica? É um produto que tem jeito de madeira, cor de madeira, ranhuras de madeira, mas não tem relação com o desmatamento de florestas.

Ela usa uma técnica de reciclagem que retira do meio ambiente garrafas pet e papelão, e dá a eles um destino sustentável: transforma em um novo produto, bem parecido com a madeira.

“É uma invenção bastante utilizada nos países da América do Norte, na Europa, no Japão. E é bastante interessante porque você está reciclando o plástico do pós-consumo e você também pode utilizar resíduos do processamento de madeira, a farinha de madeira”, diz Cláudio Henrique Del Menezzi, professor de Engenharia Florestal da UnB.

Mas a madeira plástica brasileira é diferente, de acordo com o empreendedor socioambiental Charles Alimandro, de Brasília.

“A nossa é 100% plástico. Ela leva componentes SUV anti-chama e é pigmentada. O processo do Brasil é considerado o mais sustentável do planeta”, diz.

“A gente trabalha com resíduo que nem o catador quer. Não é o pet. É o resíduo de plástico industrial, o rejeito da indústria que vai direto pra gente e a gente certifica que ela não jogou no aterro sanitário”, conta Charles.

Vantagens

E a madeira plástica produzida no Brasil tem várias vantagens: não atrai cupim, nem fungos, não retém umidade, dura mais que a madeira comum e pode ser usada para fazer quase tudo que atualmente é produzido com a madeira.

Ela pode substituir a madeira comum na hora de fazer “pergolado, banco, lixeira, deck, porta, portão, fachada, muro…”, conta o empresário José Antonio dos Anjos.

E o melhor, tudo isso sem provocar danos ao meio ambiente.

Preço

A madeira de plástico é mais cara que a comum, mas também dura mais, garante o empreendedor socioambiental Charles Alimandro, de Brasília.

“Ela tá em torno de 10 % mais cara no caso de deck. Já pergolado ela é mais barata”, conta.

Charles explica que o custo se repõe rapidamente porque a madeira plástica não tem a manutenção cara como a madeira comum.

“A manutenção de um deck de madeira comum é lixar e envernizar uma vez por ano. Em cinco anos você pagou outra obra”, alerta Charles.

Já a manutenção da madeira plástica exige apenas passar um líquido parecido com o “pneu pretinho”, usado em carros. Só isso.