PARAGUAIOS QUE ESTAVAM NA PONTE DA AMIZADE DÃO POSITIVO PARA O CORONAVÍRUS

No boletim de sexta-feira (01), país vizinho teve recorde diário no número de casos.

Por Pedro Fontoura 02/05/2020 - 18:53 hs
Foto: ABC COLOR PY
PARAGUAIOS QUE ESTAVAM NA PONTE DA AMIZADE DÃO POSITIVO PARA O CORONAVÍRUS
Muitos paraguaios que aguardavam ordem para entre no país, estão com covid19

O Ministério da Saúde Pública e Bem-Estar Social, do Paraguai, reportou no boletim desta sexta-feira o registro mais alto de casos positivos de cidadãos do país contaminados pelo novo coronavírus, em um intervalo de 24 horas.

A média de confirmações vinha girando, nas últimas semanas, entre cinco e 10 casos por dia, havendo ocasiões, também, em que nenhum dos cerca de 400 exames processados apresentava resultado positivo para a covid-19.

Nesta sexta, no entanto, de 439 amostras coletadas em pessoas que retornaram do exterior ou apresentaram sintomas suspeitos, 67 confirmaram a presença do coronavírus, com um detalhe importante: 63 dos infectados vieram do Brasil e faziam parte, em sua maioria, de grupos que estavam acampados no alto da Ponte da Amizade.

Como procedimento padrão, o governo do Paraguai determina que todos os cidadãos que voltam do exterior cumpram quarentena obrigatória com 14 dias de duração, em abrigos montados em locais como ginásios e galpões, sob custódia das forças militares.

O número de vagas em tais locais costuma ser inferior à quantidade de retornados, o que gera situações como os acampamentos improvisados na passarela de pedestres da ponte fronteiriça entre Ciudad del Este e Foz do Iguaçu, que é o local que vem concentrando 85% das mais de 2,5 mil chegadas até o momento.

Como medida de segurança, o governo paraguaio instalou, há cerca de um mês, um portão na saída da passarela de pedestres, para evitar acesso direto à aduana e tentar disciplinar o fluxo de entradas.

Nesta sexta-feira, o presidente Mario Abdo Benítez anunciou, também, que vai reforçar o contingente militar na fronteira com o Brasil, em pontos como o rio Paraná, Lago de Itaipu e fronteira seca com Mato Grosso do Sul, no intuito de barrar entradas e saídas ilegais do território do país e combater situações como o contrabando e o tráfico de entorpecentes.

Com as 67 confirmações desta sexta, o Paraguai tem, agora, 333 casos positivos desde o início da pandemia, com 115 pacientes curados, 10 óbitos (o último deles, aqui na fronteira, em Presidente Franco) e cinco internados nos hospitais do país.

Fonte: Portal da Cidade com RCI